A polícia canadiana anunciou que acusou um homem, de 23 anos, de quatro homicídios perpetrados no domingo, no norte de Toronto.

Menhaz Zaman de 23 anos, foi indiciado, na segunda-feira, pela Unidade de Homicídios da Polícia Regional de York, "de quatro homicídios em primeiro grau", anunciou a força de segurança.

De acordo com a imprensa canadiana, que citou testemunhas, as vítimas do crime, que está a chocar o Canadá, "são o pai, a mãe, a avó e a irmã do alegado homicida".

Um utilizador com o nome de Menhaz disse, em março, através da aplicação 'online' Discord, que ia matar os pais e depois ia para a prisão", noticiou o canal público de televisão canadiano.

A CBC indicou que o mesmo utilizador do jogo 'online', nas primeiras horas de domingo, enviou mensagens com "fotografias dos corpos das vítimas e armas brancas com sangue, poucas horas antes da polícia ter chegado à residência".

Assassinei toda a minha família e vou passar o resto da minha vida na prisão, isto se sobreviver. Quero que eles morram para não sofrerem com uma pessoa patética como eu e muito egoísta", podia ler-se nas mensagens.

O alegado homicida reconheceu ainda que "merece ser castigado", terminando com uma última mensagem a mencionar de que "a polícia estava à porta".

No domingo, 28 de julho, pouco depois das 15:00 locais, mais de 12 horas depois destas mensagens terem sido publicadas na Internet, a polícia foi notificada para investigar a ocorrência em Markham, a cerca de 30 quilómetros a nordeste de Toronto.

No local, os agentes encontraram um homem, à porta de uma habitação, que detiveram. No interior da residência, a polícia encontrou quatro mortos.

As autoridades, que ainda não divulgaram a causa da morte, já identificaram as vítimas: Firoza Begum, de 70 anos, Momotaz Begum, de 50, Moniruz Zaman, 59, e Malesa Zaman, 21, todos residentes em Markham, uma cidade de cerca de 329 mil habitantes.

A família, oriunda do Bangladesh, chegou ao Canadá nos anos de 1980, disse um amigo da família.

O suspeito regressa ao tribunal na sexta-feira.