Um milionário e a companheira fingiram ser membros de uma comunidade indígena no Canadá para conseguirem ser vacinados antecipadamente.

O magnata Rodney Baker, que construiu a sua fortuna através dos jogos de azar, e a mulher fingiram ser trabalhadores de um motel na comunidade remota de Beaver Creek e correm agora o risco de vir a ser condenados a uma pena de prisão.

De acordo com o jornal local Yukon News, o casal recebeu uma multa por não seguir o isolamento social e outra por não cumprirem a ordem de quarentena após a chegada ao aeroporto, totalizando 947 euros para cada um. 

A acusação aponta que a dupla terá chegado à comunidade e caminhado até uma clínica móvel que estava a administrar as doses de vacinas da Moderna à população isolada de cerca de 100 pessoas que vivem na região. Os moradores são do grupo prioritário pois estão mais vulneráveis aos impactos da covid-19 por estarem distantes de hospitais e não possuírem recursos financeiros para lidar com a doença.

O casal foi apanhado após uma denúncia de que, após terem sido vacinados, apanharam um táxi até ao aeroporto. A equipa de fiscalização da Associação dos Meios de Comunicação Étnicos do Canadá viajou até ao aeroporto de Whitehorse e descobriram que o avião particular de Rodney e da mulher tinha aterrado há horas em Beaver Creek.