Milhares de criaturas marinhas apareceram, nas últimas semanas, mortas nas praias do nordeste de Inglaterra. Os ambientalistas britânicos estão agora a levar a cabo uma investigação para descobrir a razão pela qual os crustáceos deram à costa.

Sharon Bell, residente local, contou à CNN que costuma passear todos os dias pela praia perto da sua casa, mas nas últimas semanas notou uma “acumulação constante de crustáceos”. A residente ficou chocada com as “algas empilhadas” até a altura da sua cintura, que estavam repletas de “caranguejos mortos e vivos e de lagostas".

Na quarta-feira, Sharon deparou-se com um “cheiro terrível” vindo da praia, devido à avançada decomposição dos caranguejos e lagostas. A moradora tentou ainda salvar o máximo de caranguejos vivos e colocou-os de volta na água.

É simplesmente devastador vê-los ali deitados. Se for um incidente provocado pelo homem e se o tivermos realmente feito, então obviamente temos de ter a certeza de que não vai voltar a acontecer", acrescentou.

A Agência do Ambiente do Reino Unido está a investigar o caso e já recolheu várias amostras.

Foram recolhidas amostras de água, sedimento, mexilhão e caranguejo e foram enviadas para análise para analisar se a poluição pode ter contribuído para a morte dos animais", explicou o porta-voz da Agência do Ambiente à CNN.

 

Redação / IC