Um casal, do Texas, nos Estados Unidos, morreu na infetado com covid-19 depois de se ter recusado a tomar a vacina por "não se sentir confortável". Deixam quatro filhos também eles com teste positivo.

De acordo com a imprensa britânica, que falou com alguns dos familiares do casal, Lawrence e Lydia Rodriguez cumpriam com todos os cuidados para não ficarem infetados, mas "não confiavam" nas vacinas que estavam a ser administradas. No entanto, segundo uma das primas, Lydia disse, antes de morrer, que queria que os quatro filhos fossem vacinados.

O casal deixou assim dois gémeos de 18 anos e dois adolescentes de 16 e 11 anos. Todos eles estão infetados com covid-19, mas apresentam sintomatologia ligeira. 

Lydia, de 42 anos, esteve hospitalizada durante um mês, até ter morrido na segunda-feira. Já o marido, de 49 anos, morreu no dia 2 de agosto depois de ter sofrido várias complicações. 

Os familiares dizem que o casal andava sempre de máscara, não tinha por hábito sair de casa sem motivo, mas era cético em relação às vacinas. 

Cláudia Évora