A China anunciou na quarta-feira a criação de uma ‘lista negra’ de destinos turísticos de jogo em casinos por perturbarem a “ordem comercial do mercado de turismo no estrangeiro da China”.

“Macau não é considerado estrangeiro”, disse à Lusa o analista da consultora de jogo IGamix Ben Lee, numa alusão ao comunicado das autoridades chinesas.

Macau, capital mundial do jogo, é o único local em toda a China onde o jogo em casino é legal e obteve em 2019 receitas de 292,4 mil milhões de patacas (cerca de 31,1 mil milhões de euros).

A China não identificou os países incluídos nesta 'lista negra', contudo, Ben Lee disse acreditar que as Filipinas e Camboja poderão estar abrangidos devido ao jogo online, que as autoridades chinesas têm tentando combater.

Lee considerou a ideia das autoridade chinesas é estancar as apostas online que “estão totalmente descontroladas”.

De acordo com o comunicado do Ministério da Cultura e do Turismo chinês, “algumas cidades estrangeiras abriram casinos para atrair turistas chineses a jogar no estrangeiro, perturbando a ordem comercial do mercado de turismo no estrangeiro da China e pondo em perigo a segurança pessoal e patrimonial dos cidadãos chineses”.

Por essa razão, foi estabelecida uma 'lista negra' de destinos turísticos transfronteiriços de jogo, e serão tomadas “medidas restritivas de viagem contra cidadãos chineses que viajam para cidades estrangeiras e locais" na referida lista, justificaram as autoridades chinesas.

Em declarações ao jornal de Macau Exmoo, o membro da Associação de Mediadores de Jogos e Entretenimento de Macau LAM Kai Kong considerou que esta medida das autoridades chinesas está de acordo com a política do país e “destina-se a desencorajar a saída excessiva de capital”.

Ao mesmo jornal, o professor associado do Instituto Politécnico de Macau Loi Hoi Ngan afirmou que esta “política não é dirigida a Macau”

“Se o Continente quer regular Macau, há muitas formas de o fazer, e não há necessidade de recorrer a um método tão criterioso como a ‘lista negra’, que se acredita ser dirigida a regiões estrangeiras com casinos”, observou.

/ AM