Espanha tem 224 surtos ativos de covid-19, mais 23 do que há dois dias, com 2.622 casos positivos da doença associados, estando a maioria deles controlados, disse o ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa.

O responsável governamental explicou no parlamento espanhol que a maioria dos surtos estão ligados à atividade da apanha da fruta e a espaços onde as medidas de prevenção são descuidadas, tais como o ambiente familiar e a vida noturna.

"Existem instrumentos adequados para conter os surtos e a maioria deles estão controlados", disse Illa, que reconheceu que a situação é “especialmente preocupante” nas comunidades autónomas da Catalunha e de Aragão.

O ministro fez um apelo aos cidadãos para não perderem o respeito pelo vírus e assinalou que a evolução da pandemia no mundo "não está a correr bem".

Os países como Espanha, afirmou Salvador Illa, que conseguiram conter o vírus, encontram-se todos na mesma situação, com "surtos que têm de ser detetados de forma precoce”, como está a ser feito “na maioria dos casos em Espanha".

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 610 mil mortos e infetou mais de 14,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (141.833) e mais casos de infeção confirmados (mais de 3,89 milhões).

Seguem-se Brasil (81.487 mortos, mais de 2,1 milhões de casos), Reino Unido (45.422 mortos, mais de 295 mil casos), México (40.507 mortos, mais de 356 mil casos), Itália (35.073 mortos e mais de 244 mil casos), França (30.177 mortos, mais de 331 mil casos) e Espanha (28.424 mortos, mais de 266 mil casos).

/ AM