Cerca de 2.000 pessoas foram obrigadas a deixar as suas casas no nordeste do Brasil, após uma conduta numa barragem ter rebentado, prevendo-se que possam regressar dentro de 72 horas, informaram no sábado as autoridades brasileiras.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, disse à agência de notícias Associated Press (AP) que os residentes em torno da barragem de Jati, no estado brasileiro do Ceará, no nordeste do país, foram aconselhados a deixar as suas casas como medida de prevenção, após a conduta de betão ter rebentado.

O incidente deu-se ao final da tarde de sexta-feira, quando o rebentamento da conduta danificou parte da barragem e inundou a central eléctrica.

A força da água que irrompeu da conduta danificada causou danos em cerca de 40 metros de uma parede da barragem, mas não provocou feridos, segundo a mesma fonte.

O acidente aconteceu um dia depois de o ministro do Desenvolvimento Regional ter aberto a comporta que liberta água da barragem para abastecer o Cinturão das Águas do Ceará (CAC), um novo projeto ainda em fase de testes, segundo a imprensa local.

O governante disse que a situação está sob controlo e que os residentes desalojados deverão poder regressar a casa dentro de 72 horas.

A parte da barragem afetada faz parte do maior projeto hídrico do Brasil, um desvio do rio São Francisco que se destina a abastecer regiões áridas em três estados brasileiros, inaugurado no final de junho pelo Presidente Jair Bolsonaro.

/ RL