O herdeiro do grupo de construção brasileiro OAS, Cesar Mata Pires Filho sofreu um enfarte na segunda-feira, enquanto prestava depoimento na Operação Lava Jato, na Justiça Federal do Paraná, segundo a imprensa local.

Cesar Mata Filho caiu inanimado perante o juiz federal Luiz Bonat quando prestava depoimento no caso em que é acusado de pagar subornos ao Partido dos Trabalhadores (PT) e a funcionários públicos na construção de um prédio do grupo petrolífero estatal Petrobras em Salvador.

O empresário foi socorrido no local e, posteriormente, levado de ambulância para o hospital Santa Cruz, em Curitiba, onde se encontra internado na Unidade de Terapia Intensiva.

De acordo com a imprensa brasileira, Cesar Mata Filho foi submetido a uma cirúrgia ao final da tarde de segunda-feira.

Durante as investigações da Lava Jato o empresário brasileiro chegou o empresário chegou mesmo a receber a coação de prisão preventiva em novembro do ano passado, mas foi solto no mês seguinte, após o pagamento de fiança no valor de 29 milhões de reais (cerca de sete milhões de euros).

O empreiteiro, de 41 anos, foi incriminado por funcionários da própria OAS que estavam envolvidos no caso.

Três dos oito executivos da OAS envolvidos no pagamento de subornos, que assinaram acordo de delação premiada com a Lava Jato (colaboração com as investigações em troca de redução de pena), declararam que os pagamentos de suborno foram efetuados com a concordância do herdeiro da construtora.

O pai do empresário e fundador da OAS, Cesar de Araújo Mata Pires, morreu em 2017, aos 67 anos, vítima de um enfarte.

Perante o incidente, a audiência foi suspensa até setembro.

Lançada em 2014, a investigação "Lava Jato" trouxe a público um gigantesco esquema de corrupção de empresas públicas e do grupo petrolífero Petrobras, implicando dezenas de altos responsáveis políticos e económicos. Muitos deles estão hoje presos.