As emissões de CFC-11 foram banidas, mas continuam a subir e a destruir a camada de ozono. Estes dados foram revelados pelos cientistas que acreditam que alguém está secretamente a fabricar o poluente que viola o Protocolo de Montreal. As emissões de CFC-11 subiram 25% desde 2002. 

Tenho estudado isto por mais de 30 anos, é o mais surpreendente que tenho visto", disse um cientista da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional, Stephen Montzka, que liderou o trabalho, citado pelo The Washington Post

Oficialmente, a produção de CFC-11 é suposto estar a zero, valor que os países combinaram com as Nações Unidas dentro do acordo internacional. Mas a verdade é que as emissões estão a subir e os cientistas suspeitam que alguém esteja a produzir o químico desafiando a proibição. 

Há uma pequena hipótese que possa ser não intencional, mas que há claras evidências que o andam a produzir, há."  disse o fundador do Instituto Governo e Desenvolvimento Sustentável e especialista no Protocolo de Montereal, Durwood Zaelke. 

Os cientistas não sabem exatamente quem ou onde, que poderá estar a fazer isto, mas o observatório no Hawaii, nos EUA, descobriu o CFC-11 misturado com outros gases vindos do este asiático, contudo não têm autorização para investigar naquela área.

Os cientistas não deixam de parte outras explicações alternativas que podem passar pela mudança dos padrões da atmosfera que gradualmente removem os gases CFC da estratosfera. Outra alternativa que passa pelo crescimento da demolição de prédios que contêm resíduos antigos de CFC-11. 

Os cientistas também explicaram que estas fatores não explicam o crescimento, que eles calculam que esteja na volta dos 13 milhões gramas por ano nos mais recentes anos. 

Estas considerações sugerem o crescimento das emissõs de CFC-11 de novas produções", disseram os pesquisadores. 

As descobertas são "ambientalmente e politicamente sérias", disse o cientista da NASA, Robert Watson, não esquecendo que este é um gás químico poderoso que contribui para o aquecimento global. 

Não é claro o porquê de algum país começar a querer começar a produzir e inevitavelmente libertá-lo, CFC-11, quando os substitutos estão disponíveis há muito tempo. É imperativo que a descoberta venha a ser discutida no próximo encontro de Governos, visto que a recuperação da camada de ozono está dependente de todos os países envolvidos no protocolo de Montreal.", disse Watson. 

 

Se as emissões continuarem inabaláveis, os cientistas vão ter que potencialmente abrandar a recuperação da camada de ozono. Vão ter que identificar as causa destas emissões e fazer o que for necessário.", disse o porta-voz do Programa do Ambiente das Nações Unidas, Keith Weller. 

Uma produção de CFC-11 é uma "violação a uma lei internacional", confirmou Weller, mas dentro do acordo "não é punível". A solução neste caso será  provavelmente uma negociação com entre o país responsável e os outros. 

Esta subida das emissões está atrasar a recuperação da camada de ozono e, ao mesmo tempo, deixa-a mais vulnerável a outras ameaças.