«Não podemos provocar, não podemos insultar a fé dos outros, não podemos ridicularizá-la», disse o Papa aos jornalistas quando questionado sobre as caricaturas do semanário satírico francês, Charlie Hebdo, alvo de um atentado que causou 12 mortos, na semana passada, em Paris.