Pelo menos 17 pacientes de um hospital no estado central mexicano de Hidalgo morreram em inundações causadas por fortes chuvas, disse o Governo do México.

As chuvas de ontem [segunda-feira] em Hidalgo fizeram o rio Tula transbordar as suas margens, inundando o hospital geral, causando a morte de 17 pacientes", de acordo com uma declaração do Governo mexicano divulgada, na terça-feira, na rede social Twitter.

O Presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, lamentou "a morte de dezassete pacientes no hospital da Segurança Social devido à inundação do rio Tula".

"Este é um dia muito mau" para o México, disse.

Numa mensagem acompanhada por um vídeo, a diretora-geral do hospital em Tula, Zoe Robledo, indicou que o hospital ficou inundado em poucos minutos, o que comprometeu o funcionamento.

"No momento em que a eletricidade foi cortada no município, o oxigénio deixou de ser administrado" aos doentes, acrescentou.

As autoridades disseram que os doentes sobreviventes tinham sido enviados para outros hospitais da área.

No subúrbio de Ecatepec, na capital mexicana, pelo menos duas pessoas morreram na sequência das inundações, depois de muitas ruas terem ficado submersas, noticiaram os meios de comunicação social mexicanos.

Muita água caiu em todo o vale da Cidade do México (capital e área metropolitana). Se vive em zonas baixas, mude-se o mais rapidamente possível para abrigos ou para zonas altas com a família e amigos", acrescentou López Obrador.

Nos últimos dias, grande parte do país tem registado fortes chuvas e inundações.

/ AG