Mais de 72 mil pessoas foram forçadas a abandonar as suas casas devido a inundações causadas por fortes chuvas no oeste das Filipinas, segundo a agência nacional de resposta aos desastres naturais.

Uma pessoa morreu e duas ficaram feridas, de acordo com os últimos dados oficiais, enquanto o serviço meteorológico filipino adiantou que a tempestade está a deslocar-se para a parte sul do arquipélago.

As regiões mais afetadas são Calabarzon, a sul de Manila, e Mimaropa, na ilha de Palawan, onde mais de 500 casas foram danificadas e as perdas económicas na agricultura e infraestruturas foram estimadas, até agora, em 104 milhões de pesos (1,7 milhões de euros).

Cerca de 38.400 pessoas encontram-se em centros temporários, enquanto 33.700 foram realojadas com familiares ou conhecidos.

As fortes chuvas das monções também inundaram várias zonas baixas de Manila, com a água a subir até um metro de altura em algumas zonas.

As Filipinas registam entre 15 e 20 tufões por ano durante a estação das chuvas, que começa entre maio e junho e normalmente termina entre novembro e dezembro.

Entre 2000 e 2016, as catástrofes naturais custaram ao país 20 mil milhões de dólares (17 mil milhões de euros) em prejuízos ou uma média anual de 1,2 mil milhões de dólares (cerca de mil milhões de euros), de acordo com um relatório do Banco Asiático de Desenvolvimento.

Agência Lusa / CM