Pelo menos uma pessoa morreu e milhares foram retiradas das suas casas, na sequência de chuvas torrenciais, aluimentos de terras e inundações registadas nos últimos dias na província da Columbia Britânica, no oeste do Canadá.

O corpo de uma mulher foi encontrado numa derrocada de terras ocorrida na estrada 99 perto de Lillooet, a 250 quilómetros a norte de Vancouver, na segunda-feira de manhã", disse na terça-feira a Real Polícia Montada do Canadá, em comunicado.

 

O número total de pessoas e veículos dados como desaparecidos ainda não foi confirmado", indicaram as autoridades, acrescentando que as buscas continuam.

Na segunda-feira, os cerca de sete mil habitantes da cidade de Merritt, situada a 300 quilómetros a nordeste de Vancouver, receberam instruções para sair da zona.

Esta ordem de evacuação deverá permanecer em vigor durante provavelmente mais de uma semana", uma vez que as inundações continuam a causar "riscos e danos significativos", disse o município, na terça-feira.

As inundações levaram à interrupção de "todos os serviços ferroviários de e para o porto de Vancouver", disse a porta-voz da autoridade portuária local Matti Polychronis.

De acordo com imagens transmitidas pela televisão canadiana, a chuva parou, mas muitas estradas estão fechadas e as cidades inundadas.

Algumas zonas registaram cerca de 95% da precipitação mensal em 24 horas, disse o meteorologista Armel Castellan da agência meteorológica canadiana.

Não tenho dúvidas de que estes eventos estão relacionados com as alterações climáticas, por não terem precedentes", disse o ministro da Segurança Pública da província, Mike Farnworth, em conferência de imprensa.

O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, afirmou estar "muito preocupado com a situação na Columbia Britânica" e salientou que a província terá "os recursos que possa necessitar".

/ PF