As autoridades chinesas anunciaram esta quinta-feira a execução do autor de um violento ataque que matou nove estudantes e feriu 12, numa escola da província de Shaanxi, no norte da República Popular da China.

Zhao Zewei tinha sido condenado à morte em julho depois do ataque em que, segundo os investigadores, agiu por vingança contra abusos e humilhações que terá sofrido durante o período em que frequentou o estabelecimento de ensino de Shaanxi.

Porque as coisas na vida e no trabalho não lhe correram bem Zhao Zewei escolheu cobrar o preço a gente inocente”, disse através de um comunicado o Tribunal Popular da cidade de Yulin que julgou o caso.

O homem, de 28 anos, comprou cinco facas para matar antigos colegas de escola, mas acabou por matar os alunos que frequentam atualmente o mesmo colégio.

Sete raparigas e dois rapazes foram mortos no momento em que saiam das aulas e 12 alunos ficaram feridos.

Os ataques com facas não são raros na China porque o uso de armas de fogo é proibido por lei.

Em fevereiro, um homem matou uma mulher e feriu 12 pessoas à facada num centro comercial muito frequentado em Pequim.

Em janeiro de 2017, um outro homem munido de uma faca de cozinha feriu 11 crianças que se encontravam num infantário da região Guangxi, no sul do país.