Um residente de Hong Kong de 39 anos morreu hoje vítima de pneumonia viral causada pelo novo coronavírus, a primeira morte registada na região administrativa especial chinesa e a segunda fora da China continental.

De acordo com as autoridades do território, o homem viajou para Wuhan, centro do surto do novo coronavírus (2019-nCoV), de comboio no dia 21 de janeiro e voltou para Hong Kong em 23 de janeiro.

A emissora pública de Hong Kong RTHK indicou que, na semana passada, o homem teve dores musculares na semana passada e febre. Mais tarde, "foi transferido para uma ala de isolamento após a confirmação do coronavírus”.

Esta é a primeira morte ligada ao coronavírus registada em Hong Kong e a segunda ocorrida fora da República Popular da China.

No sábado passado, um chinês de 44 anos, residente em Wuhan, morreu nas Filipinas, indicou o Departamento de Saúde filipino, em comunicado.

Nono e décimo casos confirmados em Macau

O número de pessoas infetadas em Macau com o novo coronavírus subiu para dez, com um novo caso registado num residente de 57 anos, disse à Lusa fonte dos Serviços de Saúde.

O caso foi diagnosticado esta manhã no doente, que ainda se encontra em avaliação, mas o seu estado é considerado estável, acrescentou a mesma fonte.

Segundo os Serviços de Saúde, o homem viajava com frequência para Cantão (Guangzhou).

Também esta manhã, as autoridades sanitárias anunciaram o nono caso confirmado, naquele que poderá ser o primeiro caso de contágio em Macau, uma vez que a paciente garantiu não ter saído do território nos últimos dias e manteve contacto direto e próximo com o oitavo caso confirmado no território, numa mulher de 64 anos.

“Foi diagnosticado em Macau um novo caso confirmado da infecção pelo novo coronavírus, numa mulher, 29 anos de idade, residente de Macau”, indicaram as autoridades, em comunicado.

De acordo com a mesma nota, a mulher “visitou a casa do oitavo caso confirmado em Macau em 24 de janeiro e ficou lá por cerca de quatro horas”.

Desde as 00:00 (20:00 em Lisboa) desta terça-feira, Hong Kong fechou quase todas as fronteiras terrestres e marítimas para o continente para impedir a propagação do novo coronavírus. Apenas dois postos de controlo de fronteira, a Baía de Shenzhen e a ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, vão continuar abertos.

426 mortos e mais de 20.400 infetados

A China elevou para 426 mortos e mais de 20.400 infetados o balanço do surto de pneumonia provocado por um novo coronavírus (2019-nCoV) detetado em dezembro passado, em Wuhan, capital da província de Hubei (centro), colocada sob quarentena.

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há mais casos de infeção confirmados em 24 outros países.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou na quinta-feira uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional, o que pressupõe a adoção de medidas de prevenção e coordenação à escala mundial.

/ AM