O número de mortos causado pelo novo coronavírus na China subiu para 18. O novo balanço foi divulgado esta quinta-feira pelas autoridades chinesas.

Os 18 mortos foram registados na província de Hubei, onde se localiza a cidade onde o surto teve origem, Wuhan. O anterior balanço dava conta de nove mortos nesta província. A última vítima é um homem de 80 anos, que foi diangosticado com o vírus já depois da morte.

O governo de Hubei indicou ainda que foram confirmados 444 casos de infeção só nesta província chinesa.

O surto começou em meados de dezembro e acredita-se que teve origem animal, no mercado de Wuhan. A pneumonia viral alastrou-se a outras regiões como Guangdong, Pequim, Xangai e até Macau e Hong Kong.

Entretanto já foram registados casos de infeção no Japão, na Tailândia, em Taiwan, na Coreia do Sul e mais recentemente nos Estados Unidos.

Os números alimentam receios sobre uma potencial epidemia, semelhante à da pneumonia atípica, ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), que entre 2002 e 2003 matou mais de 700 pessoas em vários países asiáticos como a China. As análises genéticas mostram que este novo vírus é mais próximo do vírus do SARS do que qualquer outro coronavírus humano.

O surto surge numa altura em que milhões de chineses viajam por ocasião do Ano Novo Lunar, a principal festa das famílias chinesas, que é equivalente ao Natal nos países ocidentais. Segundo o Ministério dos Transportes chinês, o país deve registar um total de três mil milhões de viagens internas durante os próximos 40 dias.

Sofia Santana / Atualizada a 23/01 18:26