O laboratório chinês Sinovac Biotech manifestou-se esta terça-feira confiante na segurança da sua vacina experimental contra a covid-19, apesar da suspensão de um ensaio clínico no Brasil após um "incidente grave".

"Estamos confiantes na segurança da vacina", disse a Sinovac em comunicado, afirmando que o incidente em questão "não está relacionado" com a vacina.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou na segunda-feira que decidiu interromper o ensaio clínico da vacina CoronaVac, da Sinovac, após um “incidente grave" ocorrido em 29 de outubro.

A organização não forneceu detalhes sobre o que aconteceu, mas indicou que este tipo de incidentes inclui morte, efeitos colaterais potencialmente fatais, incapacidade grave, hospitalização e outros "eventos clinicamente significativos".

O órgão público que coordena os testes de vacinas no Brasil, o Instituto Butantan, disse que ficou "surpreendido" com a decisão e dará uma conferência de imprensa às 14:00 (GMT) (mesma hora em Lisboa) de hoje.

A suspensão do ensaio clínico da CoronaVac ocorreu no mesmo dia em que a gigante farmacêutica norte-americana Pfizer anunciou que a sua vacina contra o coronavírus havia alcançado 90% de eficácia.

As vacinas candidatas da Pfizer e do Sinovac estão em ensaios da Fase 3, a última fase antes de receberem aprovação regulamentar.

Além do Brasil, a CoronaVac está igualmente a ser testada na China, Turquia, Bangladesh e Indonésia.

/ LF