Morreu o primeiro cão do mundo a ser diagnosticado com o novo coronavírus, anunciaram as autoridades de bem-estar animal de Hong Kong.

De acordo com a imprensa chinesa, o cão era da raça lulu-da-pomerânia, tinha 17 anos e pertencia a uma mulher infetada com Covid-19, entretanto recuperada.

O animal esteve em quarentena obrigatória numa uma instalação do governo de Hong Kong desde o dia 26 de fevereiro e voltou para casa em meados de março. 

O cão foi confirmado como caso positivo de Covid-19 e repetiu as análises várias vezes durante a quarentena. No total, as autoridades fizeram cinco testes, através de amostras nasais e orais, e os resultados acusaram "fraco positivo".

O ministério soube pelo proprietário do cão que ele morreu a 16 de março. A proprietária comunicou que não permite uma autópsia para examinar as causas da morte", disse o porta-voz do ministério da Agricultura, Pesca e Conservação de Hong Kong, citado pelo SCMP.

Os dois últimos testes, realizados a 12 e 13 de março, deram resultado negativo e as autoridades permitiram que o animal deixasse o centro e voltasse para casa, onde acabou por morrer.

 
/ RL