Li Yuyi, vice-presidente da Associação de Futebol Chinesa, defendeu nesta quarta-feira que o futebol chinês está a ser mal gerido e sem nenhuma visão de futuro e atribui responsabilidades ao organismo que integra.

«O atraso no futebol chinês deve-se sobretudo à gestão da federação, que está a ficar para trás», afirmou o dirigente em declarações ao canal televisivo CCTV.

Em maio, para tentar reduzir os gastos dos clubes, a federação impôs o pagamento de uma taxa de 100% sobre as transferências de jogadores estrangeiros a clubes que apresentem prejuízos, o que motivou algumas críticas.

Na prática, os novos regulamentos dobram os custos com a contratação de jogadores internacionais, uma vez que todos os clubes da liga chinesa apresentam resultados negativos.

No fim-de-semana, André Villas-Boas, técnico português que orienta o Shangai, admitiu que as contratações milionárias dos clubes chineses vão parar por causa das restrições impostas pelo organismo que tutela o futebol chinês.