A China ultrapassou pela primeira vez os Estados Unidos na lista dos 10% mais ricos dos mundo no ranking do Crédit Suisse. Este ano, passou a haver 100 milhões de chineses com mais de 100 mil euros de rendimento contra 99 milhões de norte-americanos.

Sinal da mudança na balança de poder no mundo, ainda que nos muito ricos os Estados Unidos continuem a liderar, com quase quatro vezes mais milionários do que a China.

Está em marcha a transferência de riqueza das potências tradicionais para as economias emergentes... A China, mas também o Brasil e a Índia.

De acordo com o banco suíço, na última década as economias emergentes foram responsáveis por dois terços da riqueza gerada no mundo.

No ranking da riqueza individual e porque se fala de pessoas que, sozinhas, têm níveis de riqueza comparáveis com as de alguns países, fala-se necessariamente de desigualdade social.

A desigualdade global é bem mais expressiva... A metade mais pobre da população detém menos de 1% de toda a riqueza, enquanto os 10% mais ricos concentram 82% da riqueza mundial.

Isabel Loução Santos