As autoridades de chinesas detiveram um homem que terá burlado uma idosa de 90 anos em cerca de 254,9 milhões de dólares Hong Kong, cerca de 32 milhões de euros. Esta é a maior fraude telefónica alguma vez registada na região autónoma da China.

A vítima, residente no bairro "O Pico" numa das zonas mais caras de Hong Kong, contactou as autoridades no dia 2 de março e revelou que tinha feito um total de 11 pagamentos, de acordo com o relatório policial a que o South China Morning Post teve acesso.

Foi-lhe dito que a sua identidade tinha sido utilizada numa série de crimes graves, praticados em território chinês”, pode ler-se no relatório.

A mulher acrescenta que a burla telefónica teve início em julho do ano passado, quando foi contactada por alguém que dizia trabalhar para as autoridades chinesas.

O homem acabou por surgir na residência da vítima e ter-lhe-á entregue um telemóvel, através do qual deveriam passar a ser efetuadas todas as comunicações entre ambos.

Posteriormente, a idosa foi instruída a fazer uma série de transações para três contas bancárias distintas.

Prometeram-lhe que todo o dinheiro seria devolvido quando a investigação terminasse”, referem as autoridades chinesas.

O principal suspeito tem 19 anos e é um estudante universitário. Acabou por ser detido no dia 25 de março. Tendo sido libertado sob o pagamento de uma fiança e deverá voltar a apresentar-se às autoridades no fim de abril.

A polícia chinesa acredita que possa haver mais envolvidos no esquema e não exclui que possam vir a ocorrer mais detenções.

Em outubro do ano passado, uma outra idosa já tinha sido burlada em perto de 89 milhões de euros, num crime telefónico semelhante.

Nuno Mandeiro