A erupção vulcânica do Cumbre Vieja, que começou a 19 de setembro, na ilha de La Palma, está em atividade há mais de uma semana, deixando neste momento uma infinidade de infraestruturas danificadas ou totalmente destruídas. O mais significativo foi a torre sineira da igreja de Todoque, que desabou este domingo, inundada pela lava.

 

 

A lava já se encontra a cerca de um quilómetro da costa e isso fez com que, pela manhã desta segunda-feira, os diretores do Plano de Prevenção de Riscos Vulcânicos das Canárias, ordenassem o confinamento de vários núcleos populacionais do município de Tazacorte, numa antecipação da lava chegar ao mar nas próximas horas.

O fluxo de lava, que parecia estabilizado e mais lento durante a última semana, sofreu uma mudança no fim de semana, ganhando velocidade na tarde de domingo e invadindo agressivamente cidades como Todoque, onde além da igreja, destruiu outros edifícios, como um consultório médico e uma associação de bairro.

Paralelamente, a nuvem de cinzas provocada pela erupção obrigou o aeroporto a ser encerrado de sábado a domingo, ainda que companhias aéreas como a Binter tenham mantido a paralisação temporária dos voos com La Palma por motivos de segurança. 

O número de pessoas retiradas desde o início da erupção é cerca de 6 mil.

O que pode acontecer quando a lava chegar ao mar?

Assim que a lava atingir o oceano, existirá um choque térmico causado pela enorme diferença de temperatura entre os dois fluidos. Isto porque a lava avança a uma temperatura de cerca de 1.100 graus Celsius e a água costeira tem uma média de 23 graus.

Os especialistas consideram que a mistura da lava com a água resultará num rápido arrefecimento do fluido fervente, provocando uma série de outras consequências.

É expectável que, com este cruzamento, comecem a aparecer grandes nuvens ácidas e gases que eventualmente assentarão farão parte da superfície. Esta chuva ácida pode causar irritações na pele e nos olhos, bem como problemas respiratórios.

Um homem fala ao telefone perante o rasto de cinzas deixado pelo vulcão / AP Images

 

Assim, os especialistas recomendam que as pessoas nas proximidades não saiam de casa a menos que seja absolutamente necessário. Alertam ainda que respirar os vapores pode ser fatal. Os navios de carga também foram aconselhados a ficar longe da área considerada de risco.

Ao jornal El Confidencial, José Mangas, professor de Geologia da Universidade de Las Palmas, diz que “existirão explosões”- “É como misturar óleo fervente com água.

A erupção do vulcão causou já a destruição de cerca de 500 edifícios, com a lava a cobrir mais de 212 hectares.

Apesar da dimensão dos danos, não há vítimas mortais entre os 85.000 habitantes da ilha.