A violenta tempestade que desde quinta-feira assola o estado de Minas Gerais, sudeste do Brasil, já provocou pelo menos 44 mortos e 19 desaparecidos, segundo dados das autoridades brasileiras citados pela agência Reuters, atualizando os números anteriormente avançados, que eram de 38 mortos.

O governo de Minas Gerais decretou ainda o estado de emergência em 47 cidades daquele estado.

De acordo com o novo balanço, a intempérie também originou 12 feridos, enquanto mais de 13.000 pessoas foram deslocadas de cerca de 30 localidades atingidas.

A maioria das vítimas sucumbiu a deslizamentos de terras e à destruição das casas provocadas pelas inundações e a intensa precipitação, que atingiu valores recorde.

As imagens das televisões locais mostram desmoronamentos, casas submersas, árvores e postos elétricos derrubados, rios que transbordaram e bairros inundados pela tempestade, que também atingiu os estados vizinhos do Rio e do Espírito Santo.

Na sexta-feira, duas crianças e dois adultos perderam a vida após o colapso de duas habitações em Ibirite.

Duas outras pessoas morreram quando duas habitações desabaram no bairro de Vila Bernardete, em Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais. Outras quatro pessoas morreram em Belo Horizonte e uma em Contagem.

O Instituto Nacional de Meteorologia indicou ter registado em 24 horas as mais fortes precipitações desde o início das primeiras medições, que se iniciaram há 110 anos.

Entre as 09:00 de quinta-feira e as 09:00 de sexta-feira foram registados 171,8 milímetros de chuva em Belo Horizonte, um recorde. As chuvas prosseguiram no sábado.

/ CM-Atualizada às 16:06