A Direção dos Serviços Meteorológicos e Geofísicos (DSMG) de Macau emitiu esta quinta-feira o sinal 1 de tempestade tropical, devido ao ciclone Conson.

Segundo a informação mais recente das autoridades, a tempestade encontrava-se 710 quilómetros a sul/sueste do território, a mover-se a 12 quilómetros por hora.

O ciclone tropical severo Conson deverá "mover-se para oeste e atravessar o Mar do Sul da China nos próximos dias", prevendo-se que no fim de semana se aproxime da zona adjacente da ilha de Hainan, província chinesa a sudoeste de Macau, segundo comunicado da DSMG.

O organismo informou ainda que o sinal 1 deverá continuar em vigor "durante a noite", sendo "relativamente baixa" a probabilidade de ser emitido o sinal 3.

A escala de alerta de tempestades tropicais é formada pelos sinais 1, 3, 8, 9 e 10, que são emitidos tendo em conta a proximidade da tempestade e a intensidade dos ventos.

Apesar de a possibilidade de inundações ser "baixa", os Serviços Meteorológicos avisaram que as altas temperaturas "podem desencadear aguaceiros e trovoadas ocasionais".

Funcionários da Direção dos Serviços de Economia e Desenvolvimento Tecnológico (DSEDT) e do Centro de Produtividade e Transferência de Tecnologia (CPTTM) visitaram esta tarde comerciantes nas zonas baixas do território, alertando para a importância de adotar "medidas de prevenção" contra tufões e inundações e apelando para que estejam atentos às informações divulgadas pelas autoridades, de acordo com um comunicado divulgado no portal do Governo de Macau.

Para este ano, os Serviços Meteorológicos tinham previsto a ocorrência de cinco a oito tempestades tropicais até finais de setembro.

Desde 2017, três tufões obrigaram as autoridades a emitir o alerta máximo, com o último (Higos) a atingir Macau em agosto de 2020.

Em setembro de 2018, o Mangkhut provocou 40 feridos e inundações graves no território.

Um ano antes, o tufão Hato (posteriormente denominado de Yamaneko pelas autoridades locais), considerado o pior em mais de 50 anos a atingir o território, causou dez mortos e 240 feridos.

/ NM