O senador do estado do Ceará foi baleado esta quarta-feira enquanto, ao volante de um trator, tentava forçar a entrada de um quartel da Polícia Militar, onde decorria uma greve policial.

O senador Cid Gomes foi atingido na região torácica e foi levado de urgência para o Hospital do Coração de Sobral, onde está neste momento internado. 

Segundo um comunicado do hospital, o político encontra-se em “boa evolução clínica”.

 
 

O seu quadro cardíaco e neurológico não apresenta alteração. Neste momento, o paciente encontra-se lúcido e respirando sem auxílio de aparelhos", afirma o comunicado.

Segundo o irmão, Ciro Gomes, o senador foi alvejado por dois disparos que "não atingiram órgãos vitais", apesar de terem como alvo o lado esquerdo do peito.

Novos exames estão a ser feitos, mas a palavra aos familiares e amigos é de que Cid não corre risco de morte. Espero serenamente, embora cheio de revolta, que as autoridades responsáveis apresentem prontamente os marginais que tentaram este homicídio bárbaro às penas da lei", afirmou o irmão do político no Twitter.

A secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará informou que o Núcleo de Homicídios da Delegacia Regional de Sobral está a investigar o caso.

 

A entidade diz que Cid Gomes foi ferido por homens encapuzados que pertenciam ao 3º Batalhão de Polícia Militar, em Sobral, no estado do Ceará.

O caso motivou uma discussão nas redes sociais entre o irmão do senador e o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro.

Tenta invadir o batalhão com uma retroescavadeira e é alvejado com um projétil de borracha. É inacreditável que um Senador da República lance mão de uma atitude insensata como essa, expondo militares e familiares a um risco desnecessário em um momento já delicado", escreveu Eduardo Bolsonaro.

Ciro Gomes entretanto respondeu a Eduardo Bolsonaro.

Deputado #eduardoBolsonaro, será necessário que nos matem mesmo antes de permitirmos que milícias controlem o Estado do Ceará como os canalhas de sua familia fizeram com o Rio de Janeiro", escreveu no Twitter.

/ HCL