“Estamos à beira da rotura”, François Hollande.

“Estamos a tornar-nos os arquitetos da nossa destruição”, príncipe Carlos de Inglaterra. 

“Os EUA aceitam a responsabilidade de fazer algo”, Barack Obama.


21ª Conferência do Clima da ONU (COP21),

 

Xi Jinping (Foto: EPA)

 

A China, representada pelo presidente Xi Jinping, defendeu que a solução deve ser ajustada a cada país, tendo em conta o seu poder económico, permitindo a cada nação avançar com as suas próprias soluções internas. Porém, o país está a favor de um controlo das emissões de gases poluentes.

“O acordo deve colocar um controlo efetivo ao aumento da concentração de gases de estufa, e encorajar os países a optarem por um desenvolvimento [assente em políticas] verdes, e de baixas [emissões]”, disse, segundo a Reuters.


Obama viu, no verão passado

“Como líder da maior economia e segundo país mais poluente, os Estados Unidos da América não só reconhecem o seu papel na criação do problema, como aceitam a responsabilidade de fazer algo.”    







David Cameron, príncipe Carlos, príncipe Alberto e Angela Merkel na Cimeira do Clima (Foto: Reuters)


“Se o planeta fosse uma paciente, já a teríamos tratado há muito tempo. Vocês, senhoras e senhores, têm o poder de a colocar em suporte de vida, e devem iniciar os procedimentos de emergência sem mais procrastinação. Ao danificar o clima estamos a tornar-nos os arquitetos da nossa destruição. Temos o conhecimento, as ferramentas e o dinheiro [para resolver esta crise].”



“Nós conseguimos reduzir significativamente as emissões de gases, ao mesmo tempo que dobrámos o nosso PIB. Demonstrámos que é possível assegurar o desenvolvimento económico, ao mesmo tempo que se protege o ambiente.”




no dia 13 de novembro

François Hollande (Foto: EPA)


também falou na sessão de abertura

“Para resolver o problema do clima, a boa vontade não é suficiente. Estamos à beira da rotura. (…) Não posso separar a luta contra o terrorismo da luta contra o aquecimento global. São dois desafios que temos pela frente, pois devemos aos nossos filhos um mundo sem terrorismo, mas também um planeta sem catástrofes [naturais].”


derradeiro apelo partiu


“Peço [a todos os países] que digam aos seus negociadores para escolherem o caminho do compromisso e do consenso. Uma ação corajosa pelo clima está no interesse nacional de todos os representados nesta cimeira.”


também esteve na cerimónianão pôde discursar

Veja também: "Corrida contra o tempo",