Um comissário de bordo da United Airlines tornou públicos os códigos para ter acesso aos cockpits dos aviões através de uma publicação num site pessoal. A informação foi divulgada online de forma acidental, noticia o norte-americano Wall Street Journal.

A transportadora aérea admitiu a fuga de informação, mas não confirmou se esta é uma possível ameaça à segurança aérea.

A companhia ainda pode manter as suas plataformas de voo seguras através de outras medidas", disse Maddie King, porta-voz da United Continental Holdings Corp, num comunicado.

A United Airlines, a terceira maior companhia aérea do mundo por receita, não referiu especificamente a que outras medidas se estava a referir. Mas, de acordo com o Wall Street Journal, a companhia aérea norte-americana também exige que os pilotos verifiquem a identidade de uma pessoa antes de concederem acesso ao cockpit.

Ainda de acordo com o jornal norte-americano, a transportadora aérea enviou um memorando aos funcionários notificando-os de que aquela informação tinha sido tornada pública, incitando-os a adotar precauções extras ao conceder acesso à cabine do piloto. Nenhum atraso nos voos resultou do incidente, acrescenta o jornal.

Citando um piloto que foi informado sobre o assunto, o Wall Street Journal informou no domingo que a United Airlines, alertou os pilotos que os códigos de acesso para desbloquear as portas do cockpit foram erroneamente postados num site público por um comissário de bordo.

A segurança na cabina do piloto tornou-se uma prioridade para as companhias aéreas em setembro de 2001, com o ataque às Torres Gémeas.