Escalavrado, mas vivo e ainda inteiro, Travis Kauffman de 31 anos contou finalmente a aventura de uma vida. Teve de matar um puma que o atacou, quando corria num parque perto da cidade de Fort Collins, no estado norte-americano do Colorado, conhecido por aí se localizar grande parte da cordilheira das Montanhas Rochosas.

O ataque do grande felino ocorreu na segunda-feira, dia 4 de fevereiro. Mas, só uma semana depois, já com menos cicatrizes, Travis apareceu a contar tudo aquilo por que passou. Como foi atacado. Como lutou. Como se safou. E sobretudo, a sorte que teve.

Sinto que devo jogar na lotaria", assume agora.

"Coração a colar-se ao estômago"

Há cinco anos que Travis se mudou para o Colorado. Segundo o próprio, para poder viver mais perto da natureza. Por isso, o jogging num parque como o Horsetooth Mountain Open Space era habitual e pura rotina. Até aquela segunda-feira.

Corria, normalmente, quando ouviu um barulho. Segundo contou, pensou que seria um pequeno "animal da floresta".

Mas, no fundo da mente, há sempre aquele pensamento de que pode ser outra coisa", disse Kauffman. "E essa outra coisa, desta vez, era um puma".

O animal já estava a apenas três metros de si. "Senti o coração a colar-se ao estômago", contou Kauffman, que começou a esbracejar para tentar assustar o animal. Não resultou.

O puma atacou. Abocanhou-lhe um pulso, enquanto o homem tentava proteger a cara das garras que lhe arranhavam o rosto e as pernas.

Caíram por uma ladeira, homem e puma, que lhe conseguiu prender as patas traseiras e procurou uma pedra com a mão livre.

Ele realmente sentiu quando lhe dei com uma pedra na cabeça, mas não me libertou o pulso", contou Kauffman, que conseguiu finalmente colocar um pé no pescoço do animal, até que o conseguiu sufocar. Só aí lhe soltou o pulso.

19 pontos na bochecha

Ferido, ensanguentado, dorido, Kauffman teve de correr mais uns cinco quilómetros em busca de ajuda. Encontrou finalmente outro colega de jogging, que o acompanhou até chegarem a um parque de estacionamento. Aí, um casal levou-o até ao hospital mais próximo.

Os médicos trataram-no. Levou 19 pontos na bochecha esquerda, mais seis ao longo do nariz, três outros no pulso, e uma dose generosa de antibióticos para prevenir qualquer infecção.

O puma foi depois encontrado. Morto, pelas equipas do Colorado Parks and Wildlife, que gere as áreas florestais do estado norte-americano. O animal era jovem, teria uns quatro ou cinco meses de idade, pesava entre 16 a 18 quilos e morreu de contusões e estrangulamento. Os testes à raiva deram negativo.

Foi tudo pura adrenalina. Houve um certo ponto em que cheguei a pensar que ficava na montanha, com um puma a roer-me", confessou Travis Kauffman, que, apesar de tudo, não se arrepende da mudança para o Colorado.

É seguramente um estado único em que se pode ver realmente a vida selvagem. De preferência, a alguma distância".