As eleições de domingo são as quartas dos últimos quatro anos, desde que em 2015, Unidas Podemos e Cidadãos terem aparecido em força para dividir o voto dos espanhóis que até aí votavam maioritariamente no PSOE ou no PP, que durante quase 40 anos se foram intercalando na responsabilidade de formar governo.

Paulo Portas explica que ainda pode existir uma quinta eleição em menos de cinco anos. O comentador da TVI garantiu que estes dados revelam uma mudança do paradigma eleitoral espanhol.

O ex-líder do CDS relembra que toda a campanha eleitoral girou em torno de três temas que favorecem a radicalização do voto, a Catalunha, nacionalismo espanhol e a exumação de Franco. 

O estado parece ter desapareceu da Catalunha", garante Paulo Portas.

 

Paulo Portas relembra os acontecimentos recentes que ocorreram na Catalunha, que classifica como um "problema aparentemente insolúvel". O comentador da TVI realça que nenhum dos partidos políticos tem uma solução para colocar um ponto final nos protestos independentistas.

Portas garante que era inevitável o aparecimento do "nacionalismo espanhol" como resposta ao "nacionalismo catalão agressivo". 

O ex-líder do PSD acusa ainda o primeiro-ministro Pedro Sánchez de ter "brincado com o fogo" quando decidiu avançar com a exumação de Franco ao fim de 44 anos de democracia e contra a vontade da família.