A Comissão Europeia apelou esta segunda-feira a um reforço da “coordenação e cooperação” da comunidade internacional para fazer face ao novo coronavírus, considerando “crucial” a união de esforços para travar a sua propagação.

“Numa altura em que o surto do coronavírus afeta cada vez mais países, a coordenação e a cooperação devem ser a nossa principal preocupação. Este é o momento de unir esforços para travar esta epidemia. É crucial que toda a comunidade internacional se foque nos preparativos e esforços de resposta para lutar contra o coronavírus, tendo sempre em mente a solidariedade internacional”, declarou Janez Lenarcic.

O comissário responsável pela Gestão de Crises falava no Centro de Coordenação de Resposta de Emergência da União Europeia, em Bruxelas, que está em permanente contacto com os Estados-membros para facilitar a entrega de equipamento pessoal de proteção à China, além das 12 toneladas já mobilizadas como resposta imediata.

Bruxelas acolhe, na quinta-feira, uma reunião extraordinária de ministros da Saúde da União Europeia consagrada ao novo coronavírus (2019-nCoV) detetado em dezembro em Wuhan, capital da província de Hubei (centro), durante a qual os 27 discutirão eventuais medidas de emergência suplementares a adotar e soluções para prevenir a propagação do vírus dentro do espaço comunitário.

As autoridades chinesas elevaram para 908 mortos e mais de 40 mil infetados o balanço do surto de pneumonia na China continental causado pelo novo coronovírus, depois de, no domingo, terem sido registadas no território continental chinês mais 97 mortes e detetados 3.000 novos casos de infeção, segundo dados da Comissão Nacional de Saúde da China.

O número total de mortes ascende a 910, contabilizando as duas registadas fora da China continental, uma nas Filipinas e outra em Hong Kong.

O balanço ultrapassa o da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS, na sigla em inglês), que entre 2002 e 2003 causou a morte a 774 pessoas em todo o mundo, a maioria das quais na China, mas a taxa de mortalidade permanece inferior.

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há mais de 350 casos de contágio confirmados em 25 países. Na Europa, o número chegou no domingo a 39, com duas novas infeções detetadas em Espanha no Reino Unido.

/ RL