O chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Josep Borrel e o comissário para a ajuda humanitária, Janez Lenarcic, anunciaram que estão em quarentena após terem contactado com pessoas que testaram positivo ao novo coronavírus.

“Fui informado esta tarde que um membro da delegação que viajava comigo e Janez Lenarcic, na Etiópia, na semana passada, testou positivo à covid-19”, explicou Josep Borrel, de 73 anos, através de uma mensagem na rede social Twitter.

“Tive um teste negativo quando voltei no domingo. Estou isolado de acordo com as normas e vou esperar para fazer um segundo teste”, acrescentou, citado pela agência AFP.

Também o esloveno Janez Lenarcic, de 52 anos, anunciou através do Twitter que tinha sido informado que um membro da sua equipa, que não viajou para a Etiópia, teve um teste positivo à covid-19 e que se encontra em isolamento.

"Não tenho sintomas e sinto-me bem. Os membros da minha equipa que viajaram para a Etiópia e eu fizemos o teste antes da visita e depois do regresso a Bruxelas, todos sempre negativos”, sublinhou ainda.

Os protocolos de saúde na Bélgica prevêem uma quarentena de sete dias a partir do último contacto com a pessoa infetada.

Até o momento, apenas um dos 27 membros do executivo de Bruxelas, a comissária búlgara Mariya Gabriel, deu positivo para o novo coronavírus.

A Comissão Europeia está sediada em Bruxelas, uma das capitais europeias mais atingidas pela pandemia, juntamente com Madrid e Paris.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, chegou a estar em quarentena após contacto, durante uma reunião na semana passada em Portugal, em 05 de outubro, com uma pessoa positiva para a covid-19, mas acabou por testar negativo.

No mês passado, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, tinha sido submetido a confinamento de uma semana após um caso de covid-19 na sua comitiva, o que levou ao adiamento durante uma semana do Conselho Europeu.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e oitenta e um mil mortos e mais de 37,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Na Europa, o maior número de vítimas mortais regista-se no Reino Unido (43.018 mortos, mais de 634 mil casos), seguindo-se Itália (36.246 mortos, mais de 365 mil casos), Espanha (33.204 mortos, mais de 896 mil casos) e França (32.933 mortos, mais de 756 mil casos).

Portugal contabiliza 2.110 mortos em 89.121 casos de infeção.

/ AM