A influencer Gabby Petito foi estrangulada três a quatro semanas antes de o seu cadáver ser encontrado. É essa a conclusão do chefe do departamento legista da região de Teton que fez a autópsia ao corpo da vítima.

As informações foram anunciadas durante uma conferência de imprensa dada esta terça-feira após análises da autópsia e de exames toxicológicos.

O especialista acrescentou que o corpo foi deixado "na natureza" durante ess período, mas - sem poder revelar detalhes por causa da legislação local - não respondeu se estava enterrado ou exposto. Também não indicou se sofreu algum impacto gerado pelo meio ambiente, ou se foi atacada por  animais.

O médico também não disse se foram registados ferimentos ou lesões que indicassem agressões.

Pouco depois de confirmar que o corpo localizado no Parque Nacional Grand Teton, em Wyoming, no dia 19 de setembro, era de Gabby Petito, as autoridades afirmaram que as análises iniciais já indicavam que a vítima tinha sido assassinada.

Brian Laundrie, noivo da vítima, continua desaparecido e as autoridades continuam à sua procura.

Laundrie não foi, no entanto, acusado formalmente pela morte da influencer, ainda que tenha sido indiciado no dia 23 de setembro porque teria usado o cartão de débito da jovem após o seu desaparecimento.

O funeral da jovem aconteceu no dia 26 em Long Island, Nova York. Família, amigos e fãs homenagearam Gabby durante a cerimónia aberta ao público. 

Redação / HCL