O primeiro concurso Miss e Mister Albinismo realizou-se esta semana em Nairobi, num movimento contrário ao da situação em alguns países africanos, onde os albinos são estigmatizados e mesmo atacados.

 

 

O objetivo do concurso é mostrar “que existem albinos bonitos e bem consigo mesmos” dois termos “raramente associados” no que lhes diz respeito, disse Isaac Mwaura, o primeiro deputado albino queniano que é também o organizador da competição, citado pela agência France Presse.

“Queremos mostrar o nosso talento e enfrentar a estigmatização e a discriminação”, sublinhou.