Um tribunal do Bangladesh condenou esta quarta-feira à morte sete dos oito acusados do ataque ao restaurante Holey Artisan em 2016, que causou 22 vítimas mortais, entre os quais 18 estrangeiros.

O Tribunal Especial Antiterrorista condenou sete dos acusados à morte e absolveu um, Boro Mizan, "já que a acusação contra ele não pôde ser comprovada", disse o advogado de defesa de quatro dos acusados, Delwar Hossain.

Os condenados foram considerados autores intelectuais do ataque.

No dia 1 de julho de 2016, cinco atacantes entraram à noite no restaurante Holey Artisan Bakery e, até terem sido mortos após uma intervenção das forças de elite do país, torturaram durante horas os reféns.

O Estado Islâmico reivindicou o ataque através da agência Amaq, ligada ao grupo extremista.