As congressistas democratas atacadas por Donald Trump numa série de mensagens no Twitter pediram aos norte-americanos para “não morderem o isco”. Numa conferência de imprensa, na segunda-feira, Alexandria Ocasio-Cortez, Ilhan Omar, Ayanna Pressley e Rashida Tlaib afirmaram que os comentários de Trump são apenas uma "manobra de distração" que pretende desviar atenções das políticas do presidente.

Isto é apenas uma manobra de distração do caos insensível e da cultura corrupta desta administração”, vincou Ayanna Pressley, em declarações aos jornalistas.

Pressley, congressista do Massachusetts, afirmou que os comentários de Trump são apenas esforços para “marginalizar e silenciar” as democratas.

As quatro mulheres insistiram que não se deve retirar o foco das políticas da administração norte-americana, nomeadamente em relação aos cuidados de saúde, à violência causada pelas armas e sobretudo às detenções de migrantes na fronteira com o México.

Os olhos da História estão postos em nós”, sublinhou Ilhan Omar, do Minnesota.

Nesta conferência de imprensa, Ilhan Omar e Rashida Tlaib, do Michigan, repetiram os seus apelos para que Trump seja impugnado.

A reação das congressistas democratas surge depois uma série de mensagens polémicas partilhadas por Trump no Twitter, no fim de semana. O presidente norte-americano disse para as congressistas voltarem para os seus países, apesar de todas serem cidadãs dos Estados Unidos. De resto, apenas Ilhan Omar, da Somália, nasceu fora do território norte-americano.

É tão interessante ver congressistas democratas ‘progressistas’, que vieram originalmente de países cujos governos são uma catástrofe total e completa, o pior [que existe], os mais corruptos e inaptos do mundo (se é que têm sequer governos a funcionar), a dizer agora, em voz alta e agressivamente, ao povo dos Estados Unidos, a maior e mais poderosa nação do mundo, como é que o nosso governo deve ser administrado.” 

Por que é que não voltam [para os seus países] e vão ajudar os sítios completamente estragados e infestados de crime de onde vieram?”, questionou Trump.

Os tweets do presidente republicano provocaram duras críticas dos democratas, que consideraram os comentários racistas e xenófobos.

A presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, afirmou que Trump quer “voltar à América branca novamente” e anunciou que o Partido Democrata vai apresentar uma resolução para condenar as "mensagens xenófobas".

Mas Trump parece imune às críticas e na segunda-feira não só rejeitou a ideia de que os seus comentários foram racistas como insistiu que as democratas devem abandonar os Estados Unidos se se continuam a queixar das políticas do país.

Sofia Santana