Com mais de 50 anos de serviço, Betty Grier Gallagheestava pronta para pendurar a farda e disfrutar da reforma. Mas tal como muitos outros, sentiu a obrigação de fazer aquilo que sempre quis fazer e ajudar o próximo. Acabaria por morrer de covid-19 no dia 10 de janeiro, um dia antes do seu 79º aniversário.

A enfermeira, que trabalhava no turno da noite no centro hospitalar Coosa Valley, do Alabama, era conhecida entre doentes e colegas por preocupar-se com os pacientes como se de familiares se tratassem.

Quando a pandemia chegou aos Estados Unidos, em março de 2020, Gallagher decidiu adiar a decisão de se reformar. Os seus colegas tentaram fazê-la mudar de ideias, temendo pela saúde de Betty, e apelaram a que reconsiderasse a decisão.

De acordo com a CNN, continuou a trabalhar ineterruptamente até ser infetada com a covid-19, em dezembro, sendo internada pouco depois. Betty acabou por morrer a 10 de janeiro, no mesmo hospital onde diariamente lutou pela vida dos outros, a um dia de completar 79 anos.

Ela não o fez para se destacar”, recordou o filho de Betty, Carson Grier Jr. “Ela fê-lo porque era quem ela era – era a sua vocação. Este era o seu propósito na vida”

 

The whole CVMC family is deeply saddened by the loss of our ER nurse, Mrs. Betty Grier Gallaher, to the COVID-19...

Publicado por Coosa Valley Medical Center em  Terça-feira, 12 de janeiro de 2021

Também o centro hospitalar de Coosa Valey reagiu à perda da sua enfermeira e “membro da família” do hospital.

Betty tinha sempre um sorriso no rosto e era nossa incentivadora. Ela era uma enfermeira das enfermeiras. Ela personificou nossa responsabilidade em cuidar da mente, do corpo e do espírito dos pacientes. Ela foi sempre gentil e preocupou-se profundamente com seus pacientes. Lamentamos sua perda e celebramos sua vida. Expressamos nossas sinceras condolências a sua família”, pode ler-se na publicação do facebook.