A Coreia do Sul e os Estados Unidos vão iniciar as suas manobras militares anuais a 1 de abril, depois de um adiamento no âmbito da aproximação à Coreia do Norte, anunciaram hoje as duas partes.

Segundo a agência espanhola Efe, ainda não foram divulgados quer a duração quer o número de militares que estarão envolvidos nestes exercícios, apesar de o governo sul-coreano ter informado que “a dimensão será similar à de anos anteriores”, através de um breve comunicado.

O início dos exercícios, normalmente considerados uma provocação pela Coreia do Norte, foi adiado devido à realização dos Jogos Olímpicos de Inverno no Sul, que permitiram uma aproximação a Pyongyang, cujo regime aceitou realizar duas cimeiras históricas com Seul e Washington.

Também o Pentágono já confirmou a realização das manobras militares a partir do início de abril.

Numa nota, o Pentágono indica que o secretário da Defesa norte-americano, Jim Mattis, e o seu homólogo sul-coreano, Song Young-moo, concordaram em avançar com exercícios “a uma escala similar” às de anos anteriores.

A administração norte-americana adiantou ainda que a Coreia do Norte foi notificada do calendário “bem como da natureza defensiva” dos exercícios.

Responsáveis sul-coreanos afirmaram recentemente que o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, disse aceitar estas manobras.

Está prevista uma cimeira entre o presidente norte-americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, para esta primavera. Também os líderes das duas Coreias deverão reunir-se no final do próximo mês.