A Alemanha já está a encomendar novas doses de vacinas contra a covid-19 para 2022. A confirmação foi dada pelo ministro da Saúde, Jens Spahn, com o governo germânico a temer novas vagas, pretendendo manter toda a população imunizada.

Através de uma conferência online, o governante atualizou o número de habitantes vacinados: são agora mais de 2,3 milhões, de um universo de 83 milhões.

Já estamos a encomendar mais vacinas para 2022, para podermos ter uma retaguarda. Niguém sabe se vai ser preciso. Com a capacidade de produção a ser estendida, vamos ordenar vacinas como precaução. Se não precisarmos, melhor, mas se precisarmos vamos tê-las", acrescentou.

Vários governos europeus têm sido criticados por falhas no fornecimento de vacinas, sobretudo depois das farmacêuticas Pfizer, Moderna e AstraZeneca terem anunciado um corte na distribuição dos produtos, precisamente numa altura em que era esperado um aumento da produção.

Muitos líderes de estados alemães estão a criticar a postura germânica de reunir os representantes das farmacêuticas e da União Europeia em simultâneo.

Um deles foi o governador da Baviera, Markus Soeder, que propôs uma maior autonomia na gestão das vacinas que chegam à região.

A União Europeia, recorde-se, tem tentado negociar as vacinas adquiridas de forma conjunta, envolvendo todos os Estados-membros no processo.

A Alemanha já registou mais de 2,2 milhões de casos de covid-19, dos quais quase 57 mil morreram.

António Guimarães