O governo belga vai solicitar a todos os viajantes que entrarem no território a partir de 31 de dezembro uma quarentena de 10 dias e impor a obrigatoriedade de testes a quem chega a partir de 2 de janeiro.

Dois testes PCR vão ser realizados no primeiro e sétimo dias desde a entrada no território a partir dessa data.

A decisão de reforçar a luta contra a pandemia da covid-19 foi tomada em reunião não programada das autoridades federais e regionais para analisar possíveis medidas perante o regresso ao país de milhares de viajantes depois das férias natalícias, cerca de 100.000 pessoas num país de 11 milhões.

“Os residentes que regressem de uma zona vermelha e que tenham permanecido ali mais de 48 horas devem também fazer um teste no primeiro e sétimo dia da quarentena”, explicou o governo em comunicado, no qual assinala que as pessoas que chegarem ao país a partir de 2 de janeiro “vão receber uma mensagem de texto no telemóvel, que lhes vai permitir ir a um centro de testes”.

Para fazer face ao previsível aumento de testes PCR a realizar, a capacidade no aeroporto de Bruxelas vai ser aumentada e desenvolvida também no aeroporto de Charleroi e na estação Bruxelas-Midi.

Além disso, a partir de quinta-feira, qualquer pessoa que regressar à Bélgica após mais de 48 horas em zona considerada de risco “deve ser colocada em quarentena”, que só acaba com um resultado negativo no teste PCR no sétimo dia.

Esta medida vai estar em vigor pelo menos até 15 de janeiro.

Estão isentas da quarentena pessoas “que desempenham funções críticas em setores essenciais”, os alunos que tenham de fazer um exame (apenas nesse momento) ou pessoas residentes na Bélgica que tenham viajado para o exterior por motivos profissionais, com comprovativo do empregador.

Até agora, e em funções das regras anunciadas em 18 de dezembro, apenas estavam obrigados a apresentar um teste PCR na entrada do país as pessoas que não estão registadas como residentes belgas.

Os residentes tinham apenas de preencher um formulário com detalhes do seu comportamento durante a estadia fora do país, com perguntas sobre se respeitaram a distância de segurança, usaram máscara e cumpriram as regras de higiene.

Dependendo das respostas a esse questionário, seriam informados se deveriam ser submetidos a um teste PCR já na Bélgica, ser colocados em quarentena, ambos ou nenhum.

A Bélgica tem atualmente uma incidência cumulativa de 264,2 novos casos por cada 100.000 habitantes nos últimos 14 dias, o que representa uma redução semanal de 5%.

/ AG