Bill Gates anunciou este domingo que está a investir mil milhões de euros para ajudar a desenvolver uma vacina contra o novo coronavírus.

Em entrevista ao programa norte-americano The Daily Show, o co-fundador da Microsoft disse que está a garantir o financiamento a sete indústrias farmacêuticas, mas admitiu que sabe que levará ainda muito tempo, cerca de 18 meses, até que uma vacina ou uma cura para a Covid-19 seja encontrada.

Em declarações a Trevor Noah, o multimilionário norte-americano admitiu que o investimento pode chegar aos biliões de dólares e que alguns podem ser mesmo "desperdiçados" em tentativas falhadas, mas que valerão a pena.

"Perder alguns biliões na situação em que estamos, onde existem triliões de dólares a serem perdidos economicamente, vale a pena", disse Bill Gates.

Bill Gates considerou que no futuro "podem surgir epidemias piores, mas que o Mundo vai estar mais preparado", no entanto, "cada mês conta".

Sobre o que precisa de ser resolvido, nas próximas semanas, Bill Gates admite priorizar a capacidade de testagem, que está a aumentar, mas ter a certeza que as pessoas certas estão a ser testadas.

Para Bill Gates, as "pessoas certas" passam por casos suspeitos que desenvolvam sintomas ou que tenham tido contacto próximo com um caso confirmado, mas também trabalhadores que estejam na "linha da frente" como profissionais de saúde, trabalhadores de serviços essenciais na área da alimentação, saneamento, eletricidade e internet, por exemplo.

Temos muitas pessoas assintomáticas que estão simplesmente preocupadas e temos de lhes mostrar que, até a nossa capacidade aumentar significativamente, vão ter de esperar", disse Bill Gates.

Não só o número de testes precisa de ser aumentado "guiar a investigação para o caminho certo", mas também a velocidade com que estes são feitos.

A pior coisa que temos é que, se demorar mais de 24 horas para receber os resultados do teste, a pessoa não saberá que tem de tomar medidas extremas", alertou.

No início do mês de fevereiro, a Fundação Bill e Melinda Gates anunciou que ia doar 100 milhões de dólares - cerca de 90 milhões de euros - para ajudar a desenvolver uma vacina para o novo coronavírus, limitar sua propagação e melhorar o diagnóstico e o tratamento de pacientes.

O financiamento ajudará a melhorar os esforços de deteção, isolamento e tratamento, proteger populações em risco em África e no Sul da Ásia, bem como acelarar o desenvolvimento de vacinas, tratamentos e diagnósticos", dizia o comunicado.

O multimilionário norte-americano também "previu" há cinco anos que o mundo não estava preparado para enfrentar uma pandemia. O aviso foi deixado numa conferência do projeto TED Talks, no Canadá, e as imagens desse momento tornaram-se, entretanto, virais nas redes sociais.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,3 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 73 mil.

Dos casos de infeção, cerca de 250 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Rafaela Laja