O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, que foi diagnosticado com Covid-19, foi transferido para os cuidados intensivos do hospital onde estava internado desde domingo.

O governante foi transferido depois de o seu estado de saúde ter piorado ao longo desta segunda-feira e como medida de prevenção, caso venha a precisar de um ventilador.

Um porta-voz do governo britânico, citado pela imprensa local, disse que, durante a tarde, “o estado [de saúde] do primeiro-ministro piorou e, a conselho da sua equipa médica, foi transferido para a unidade de cuidados intensivos do hospital”.

Ainda segunda a mesma fonte, Johnson terá pedido ao ministro dos Negócios Estrangeiros, Dominic Raab, enquanto primeiro-ministro de Estado, para o substituir na frente do governo "enquanto for necessário”.

O primeiro-ministro está a receber excelente tratamento e agradece a todos os funcionários do NHS [serviço nacional de saúde, na sigla em inglês] pelo seu trabalho e dedicação”, concluiu.

O primeiro-ministro britânico foi hospitalizado no domingo à noite, em Londres.

O seu gabinete explicou então que o primeiro-ministro seria submetido a testes porque mantém os sintomas de Covid-19, dez dias depois de lhe ter sido diagnosticada a doença.

Boris Johnson, de 55 anos, cumpria uma quarentena no n.º 10 de Downing Street, a residência oficial do chefe do governo britânico, desde o dia 26 de março, quando soube que estava infetado.

De acordo com o balanço feito  esta segunda-feira, o Reino Unido já regista mais de 5.000 mortos devido à pandemia de Covid-19.

O Ministério da Saúde britânico informou, esta segunda-feira, que nas últimas 24 horas foram registados mais 439 mortos, elevando o número total de vítimas mortais para 5.373. O número de infetados no país é agora de 51.608.

Sofia Santana