O Brasil, um dos países mais afetados pela pandemia em todo o mundo, registou 3.305 mortes e 85.774 casos de covid-19 nas últimas 24 horas, informou o Ministério da Saúde brasileiro.

Os números contabilizados fizeram elevar o total de óbitos no país para 368.749 e para 13.832.455 diagnósticos de infeção desde o início da pandemia, registada oficialmente no Brasil em fevereiro do ano passado.

Tal como ocorreu em março, a nação sul-americana, com 212 milhões de habitantes, continua a ser o país com mais mortes registadas em 24 horas, muito acima dos Estados Unidos e da Índia.

Além disso, o Brasil ocupa a segunda posição mundial na lista de países com mais vítimas mortais e a terceira com mais casos.

Os dados fazem parte do último boletim epidemiológico difundido pelo Ministério da Saúde brasileiro, que dá conta de uma taxa de incidência da doença no país de 175 mortes e 6.582 casos por 100 mil habitantes.

Geograficamente, o foco da pandemia no país é São Paulo, Estado que tem 2.722.077 pessoas diagnosticadas com a doença, sendo seguido por Minas Gerais (1.266.271), Rio Grande do Sul (915.558) e Paraná (902.626).

Já as unidades federativas com mais mortes pela covid-19 são São Paulo (87.326), Rio de Janeiro (40.716), Minas Gerais (29.538) e Rio Grande do Sul (22.977).

Em relação às recuperações, o número total é de 12.298.863, enquanto que 1.164.843 pacientes infetados permanecem sob acompanhamento médico, quer em hospitais, quer nas suas residências.

No momento em que o país atravessa a sua fase mais crítica da pandemia e a campanha nacional de imunização avança a um ritmo lento, 46 pessoas que precisavam ser vacinadas contra a gripe, incluindo crianças e uma mulher grávida, foram inoculadas com vacinas contra a covid-19 por engano no Brasil, anunciaram fontes oficiais.

O equívoco ocorreu na quarta-feira em Itirapina, município do interior de São Paulo, onde profissionais de saúde confundiram os imunizantes após receberem medicamentos contra a covid-19 num posto de vacinação contra a gripe, facto que já está sob investigação.

Pelo menos 28 crianças e 18 adultos, incluindo uma mulher grávida, foram vacinados indevidamente e agora serão acompanhados por uma equipa médica por 14 dias.

De acordo com a prefeitura de Itirapina, especialistas consultados indicaram que o erro "não representa risco para a saúde dos envolvidos", porém, todas as medidas para a segurança dessas pessoas já foram tomadas.

Até ao momento não houve testes suficientes para determinar os efeitos das vacinas contra a covid-19 em menores de 18 anos e em grávidas.

Além disso, o Governo brasileiro recomendou que as mulheres do país adiem a gravidez durante a pandemia de covid-19, nomeadamente devido à estirpe brasileira (P.1), que afirma ser mais agressiva em grávidas.

O secretário de Atenção Primária à Saúde, Raphael Câmara, recomendou que “caso possível, postergar um pouco a gravidez para um melhor momento para que você possa ter a gravidez mais tranquila”.

“Estudo nacional ou internacional não temos, mas a visão clínica de especialistas mostra que a variante nova [estirpe detetada no Brasil] tem ação mais agressiva nas grávidas”, disse Raphael Câmara.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.987.891 mortos no mundo, resultantes de mais de 139 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

/ HCL