A Alemanha entrou na terceira vaga da covid-19. Quem o diz é o presidente do Instituto Robert Koch, agência governamental que faz pesquisas na área das doenças infecciosas, e que tem sido o barómetro nos dados germânicos relacionados com o novo coronavírus.

Temos sinais claros: a Alemanha já tem uma terceira vaga", afirmou Lothar Wieler, em declarações à Associação de Jornalistas das Nações Unidas.

Esta quinta-feira marca um ano desde que a Organização Mundial de Saúde declarou a covid-19 como uma pandemia, num dia em que a Alemanha vê o número de casos diários subir para 14.356, mais 2.400 em relação ao dia anterior.

A incidência no país também começa a aumentar, atingido os 69,1 casos por 100 mil habitantes, quando no dia anterior era de 65,4.

Lothar Wieler afirma que a aposta do país centra-se na vacinação, uma corrida que também deve ter em conta as diferentes variantes, nomeadamente a britânica, considerada muito mais contagiosa e que é responsável por 55% das infeções registadas no país, quando há 10 dias esse número era de 46%.

Devemos vacinar o mais possível, o máximo possível", disse.

O responsável mantém o objetivo de vacinar 80% da população até ao outono. Até lá, avisa, as restrições e as medidas sanitárias devem continuar.

A Alemanha regista um aumento de casos depois de uma clara tendência de descida que durou várias semanas.

António Guimarães