O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos voltou a rever o conteúdo da sua página na internet e alerta agora que o vírus que provoca a covid-19 pode ser transmitido por via aérea. Diz o instituto norte-americano que algumas infeções podem ser transmitidas pela exposição ao vírus em pequenas gotículas ou mesmo aerossóis, que podem permanecer no ar durante minutos ou até horas.

“Covid-19 pode, às vezes, ser transmitido por transmissão aérea

  • Algumas infeções podem ser transmitidas pela exposição ao vírus em pequenas gotículas e partículas que podem permanecer no ar por minutos a horas. Esses vírus podem infetar pessoas que estão a mais de dois metros de distância da pessoa infetada ou depois de essa pessoa deixar o local.
  • Esse tipo de disseminação é conhecido como transmissão pelo ar e é uma forma importante de disseminação de infeções como tuberculose, sarampo e papeira.
  • Há evidências de que, sob certas condições, as pessoas com covid-19 parecem ter infetado outras que estavam a mais de dois metros de distância. Essas transmissões ocorreram em espaços fechados com ventilação inadequada. Às vezes, a pessoa infetada respirava com vigor, por exemplo, enquanto cantava ou fazia exercícios.
    • Sob essas circunstâncias, os cientistas acreditam que a quantidade de gotículas infeciosas menores e partículas produzidas pelas pessoas com covid-19 se concentraram o suficiente para espalhar o vírus para outras pessoas. As pessoas infetadas estiveram no mesmo espaço durante o mesmo período ou logo após a saída da pessoa com covid-19.
  • Os dados disponíveis indicam que é muito mais comum que o vírus que causa o covid-19 se espalhe por meio do contato próximo com uma pessoa com covid-19 do que por transmissão aérea.“

O CDC chegou a publicar na sua página da Internet que esta era “a principal forma de transmissão do vírus”. Depois, recuou e apagou essa informação da página. Agora, a linguagem é muito mais cautelosa e reforça que a transmissão do vírus por aerossóis ou gotículas presentes no ar acontece em circunstâncias “limitadas e pouco comuns”.

Agora, numa outra publicação, o CDC dá mesmo alguns exemplos:

“Pessoas infetadas com covid-19 podem contaminar outras que estejam a mais de sois metros ou logo depois de deixar um espaço. Nestas circunstâncias, a infeção pode ocorrer em espaços pouco ventilados ou fechados, que envolvem, muitas vezes, atividades com respiração mais intensa, como cantar ou fazer exercício.”

O centro de controlo de doenças sublinha ainda que, embora em situações mais raras, o vírus pode ser transmitido através do contacto com superfícies contaminadas: 

Apesar deste ‘passo atrás - passo à frente’ no que toca à informação sobre a forma de transmissão do SARS Cov-2, o CDC continua a frisar que a principal forma de contágio é o contacto com uma pessoa infetada, a menos de dois metros de distância, e quando essa pessoa produz partículas de fluídos com as quais o outro entra em contacto. Assim, o conselho continua a ser a proteção através do uso de máscaras que tapem o nariz e a boca e a lavagem ou desinfeção frequente das mãos.

Manuela Micael