O medo da propagação de Covid-19 nas prisões da Colômbia deu origem a uma verdadeira tragédia na tarde deste domingo. Motins ocorridos em 13 prisões do país fizeram pelo menos 23 mortos e mais de 80 feridos, segundo informações confirmadas pelo ministério da justiça colombiano.

As autoridades afirmam que o pior cenário se registou na prisão de La Modelo, na capital Bogotá.

O governo garante que as cadeias têm todas as condições para impedir a propagação do vírus, mas os reclusos afirmam que existe falta de segurança.

Apesar dos números oficiais, alguns prisioneiros exibiram uma tarja em que se podia ler "mais de 30 mortos". 

O ministério afirma que se tratou de um "plano criminoso" levado a cabo por alguns dos reclusos, com a intenção de realizarem uma "fuga massiva", com recuros a "meios violentos".

Os guardas prisionais e a vigilância do Inpec reagirão de forma oportuna, evitando uma fuga massiva", afirma uma nota oficial da justiça colombiana.

Durante a tentativa de fuga registaram-se crimes como tentativa de homicídio, incêndios e danos a pessoas terceiras.

Lamentamos profundamente o falecimento de 23 reclusos da prisão e as lesões que sofreram outras 82 pessoas", refere o comunicado.

A justiça colombiana confirmou ainda que nove guardas prisionais se encontram feridos, um deles em estado crítico. As autoridades colombianas reuniram-se de emergência e informaram que vão reunir com os sindicatos prisionais de imediato.

Veja aqui a declaração da ministra da justiça colombiana, Margarita Cabello.

António Guimarães