Foi enfermeiro de quimioterapia no serviço nacional de saúde inglês durante 18 anos e morreu sozinho, sem ajuda, vítima de Covid-19. É esta a história trágica de Donald Suelto de 51 anos. 

De acordo com o Daily Mail, o enfermeiro foi encontrado morto em casa no dia 7 de abril. Donald terá tentando contactar o número de emergência para casos suspeitos de infeção pelo novo coronavírus, mas ninguém atendeu. 

A sobrinha do enfermeiro conta que este estava a cumprir quarentena em casa por ter manifestado sintomas depois de tratar um paciente com tosse aguda e temperatura alta no Hammersmith, no oeste de Londres, Inglaterra, que mais tarde veio a confirmar-se como caso positivo. 

 "Ele disse-me que não recebeu nenhum equipamento pessoal de proteção e que o diretor dizia que estes materiais estavam em falta", explicou Emylene Suelto-Robertson em entrevista ao Daily Mail.

Emylene contou que o hospital sabia que o tio estava com sintomas e foi aconselhado a ir para casa três dias. Terão dito também para ligar para o número do serviço nacional de saúde inglês caso os sintomas se agravassem, uma vez que era asmático. 

“Ele mandou uma mensagem para um colega no trabalho no dia 5 de abril, a dizer que estava a lutar para sobreviver. Foi o último contato que alguém teve com ele", revelou Emylene.

A sobrinha explicou ainda que não conseguiu entrar em contacto com o tio, mas acreditou que este já estaria no hospital. No entanto, o pior veio a confirmar-se quando a polícia, alertada por Emylene, foi ao apartamento de Donald e o encontrou já sem vida.

Ele morreu antes que eu pudesse pedir ajuda médica", contou. 

Em entrevista à BBC, Emylene diz que o tio era um herói e que não estava assustado, mesmo sabendo que corria perigo de vida.

 "Deveria haver uma maneira de impedir a morte dele".

Agora, a família espera um atestado de óbito numa altura em que o número de profissionais mortos pela Covid-19 no Reino Unido já ultrapassou a barreira dos cem.

O Serviço Nacional de Saúde não quis comentar o caso, mas o porta-voz do Imperial College Healthcare NHS Trust já deu as condolências à família. 

Seguimos rigorosamente as orientações nacionais sobre o uso de equipamentos de proteção individual. O Donald não estava a trabalhar numa área para pacientes do Covid-19", esclareceu o hospital. "Estamos muito tristes com a morte do Donald e os nossos pensamentos e condolências estão com a família, amigos e colegas neste momento especialmente difícil".

No Facebook, Emylene deixou uma mensagem de despedida ao tio. 

Carolina Brás