A Espanha decidiu voltar a administrar a vacina contra a covid-19 da AstraZeneca e subiu de 55 para 65 anos a idade máxima das pessoas a quem é destinado este fármaco, anunciou esta segunda-feira a ministra da Saúde, Carolina Darias.

Vamos recomeçar quarta-feira a vacinação. O limite de idade antes fixado nos 55 anos é suprimido e é estendido até aos 65 anos”, sublinhou Carolina Darias uma conferência de imprensa.

As autoridades espanholas limitaram inicialmente a administração da vacina até aos 55 anos, devido a ensaios clínicos mais limitados às pessoas com mais idosas.

No entanto, desde que foi autorizada no espaço europeu, e face a outros ensaios clínicos em pessoas maiores de 55 anos, ficou demonstrada uma maior eficácia da vacina, tendo outros países aumentado a idade máxima para ser administrada.

A decisão surge depois de a Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla inglesa) ter considerado esta vacina “segura e eficaz”, na passada quinta-feira.

A Espanha e vários outros países europeus, entre eles Portugal, suspenderam a administração da vacina da AstraZeneca como “medida de precaução” face a suspeitas de casos graves, embora raros, de coágulos sanguíneos. 

Apesar de ter sito retomada, um inquérito publicado no YouGov, divulgado hoje, indica que grande parte dos cidadãos europeus continua “muito cética” em relação à segurança desta vacina.

O governo espanhol prevê vacinar 70% da população até ao final do verão e a retoma e alargamento da vacinação com a AstraZeneca deve acelerar a campanha.

Até o momento, o país, de 47 milhões de habitantes, vacinou mais de dois milhões de pessoas com as duas doses e administrou mais de seis milhões de doses no total, com outras vacinas da Pfizer/BioNtech e Moderna.

/ AG