Espanha registou um forte aumento, para 390, de casos de pessoas infetadas com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, depois de na terça-feira já ter tido um crescimento assinalável, segundo dados do Ministério da Saúde espanhol.

O relatório divulgado esta quarta-feira com a atualização da situação epidemiológica atualizou o total de pessoas infetadas desde o início da pandemia para 257.494, dos quais 390 diagnosticados no último dia, o maior aumento desde o fim do estado de emergência, há quase um mês.

A comunidade autónoma de Aragão é a região com mais novos casos verificados no último dia (160), seguida da Catalunha (91), de Madrid (43) e da Andaluzia (28).

A região da Catalunha notificou 938 novas infeções nas últimas 24 horas, mas a maior parte delas foram casos atualizados de infeções registadas em dias anteriores.

Por outro lado, são agora 28.413 o número total de óbitos devido à pandemia, mais quatro do que na terça-feira, tendo morrido na última semana 10 pessoas.

O relatório diário com a situação epidemiológica informa que já passaram pelos hospitais 125.843 pessoas com Covid-19, tendo dado entrada na última semana 176.

Máscara obrigatória no País Basco

A conselheira de Saúde do governo regional do País Basco anunciou que o uso de máscaras passa a ser obrigatório a partir da meia-noite na via pública e em espaços fechados de uso público, independentemente da distância social.

Desta forma, o País Basco adota a mesma medida que outras comunidades autónomas espanholas aprovaram, incluindo as três que fazem fronteira com o País Basco: Cantábria, La Rioja e Navarra.

A decisão resulta da análise da evolução da pandemia que as autoridades sanitárias regionais estão a realizar no País Basco desde o início da “nova normalidade”.

A medida está incluída numa ordem anunciada pela conselheira regional, Nekane Murga, durante uma conferência de imprensa, na qual disse que não é possível falar de uma “segunda vaga” de contágios na região, mas sim de uma possível confirmação de que a transmissão relacionada com o lazer “está claramente a aumentar”.

É hora de parar a transmissão com estas medidas”, defendeu a conselheira, que compareceu no encontro com a imprensa de máscara para consciencializar a sociedade sobre a importância da prevenção, porque “o vírus está a ganhar terreno”.

A ordem que entra em vigor às 00:00 de hoje indica também que as máscaras devem ser usadas em estabelecimentos de hotelaria e restaurantes e bares.

A ocupação máxima nas mesas será de 10 pessoas e não vão ser concedidas novas extensões de horário aos estabelecimentos devido a festas ou eventos sociais.

É proibida a atividade em mercados juvenis e locais semelhantes, enquanto o consumo coletivo ou em grupo de bebidas na rua ou em espaços públicos fora dos bares vai ser penalizado.

Por outro lado, o uso de máscara não é obrigatório nas praias e piscinas enquanto se estiver na água ou deitado e caso se respeite a distância social, mas o uso será necessário em todas as deslocações no local.

A ordem obriga também os estabelecimentos, espaços e locais a garantirem que as medidas são cumpridas.

A conselheira explicou ainda que a maioria da população infetada nos últimos dias são jovens, mas a idade média dos novos positivos “começa a subir”.

Por isso, pediu tanto a jovens como a toda a sociedade, que evitem o agrupamento de pessoas, porque “favorece o contágio” e mesmo que “seja para comer ou beber pode ser arriscado”.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 578 mil mortos e infetou mais de 13,34 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (136.466) e mais casos de infeção confirmados (mais de 3,43 milhões).

Seguem-se Brasil (74.133 mortos, mais de 1,92 milhões de casos), Reino Unido (45.053 mortos, quase 292 mil casos), México (36.327 mortos, mais de 311 mil casos), Itália (34.984 mortos e mais de 243 mil casos), França (30.007 mortos, cerca de 209 mil casos) e Espanha (28.413 mortos, mais de 257 mil casos).

/ AG