China, Coreia do Sul e Itália têm registado pacientes que voltam a acusar positivo meses depois de terem sido considerados curados da infeção por Covid-19. A comunidade médica procura explicação.

“Não aguento mais isto”, disse um doente de Whuan, sob anonimato, citado pela agência Reuters. O homem, com cerca de 50 anos, foi diagnosticado com Covid-19 em fevereiro, esteve internado em dois hospitais e neste momento está em quarentena num edifício destinado a casos de Covid-19. “Estou bem e não tenho sintomas, mas estou positivo. Que vírus é este?”

Os médicos admitem não conseguir explicar o que se está a verificar e, na China, já se pondera alargar o período recomentado de 14 dias de quarentena à incubação do vírus.

O caso mais atípico é o de um homem que esteve com teste negativo durante 70 dias e agora acusa novamente infeção por Covid-19, sem apresentar qualquer sintoma.

“Não vimos nada como isto durante a SARS”, disse o vice-presidente de um hospital em Wuhan, que defende que a melhor estratégia para conter a propagação da Covid-19 é manter o distanciamento social.

Da Coreia do Sul chegam relatos de pelo menos mil pacientes com teste negativo que voltaram a confirmar infeção por Covid-19, sem qualquer sintoma. O mesmo acontece em Itália onde há relatos de nova infeção em pacientes curados há mais de um mês.

pandemia do novo coronavírus já matou 181.234 pessoas e infetou mais de 2,6 milhões em todo o mundo desde dezembro, segundo um balanço da agência AFP, às 19:00 desta quara-feira, baseado em dados oficiais dos países.

Verónica Ferreira