Os congressistas que tiveram de se barricar no Capitólio durante a invasão dos apoiantes de Donald Trump podem ter sido expostos a um foco de contágio de covid-19, isto depois de uma pessoa ter sido diagnosticada com o novo coronavírus. A agência Associated Press revela que o médico que serve no edifício já notificou os diferentes trabalhadores para esta possibilidade, e pede-lhes que façam o teste com urgência.

O médico Brian Moynihan escreveu que "muitos membros da comunidade do Congresso estiveram numa grande sala isolada por várias horas" na quarta-feira.

Estes indivíduos podem ter estado expostos a outro ocupante [da sala] com uma infeção por covid-19", acrescenta.

Dezenas de congressistas foram levados para salas seguras depois de os manifestantes terem irrompido pelo Capitólio, numa altura em que se discutia a confirmação da eleição de Joe Biden como presidente dos Estados Unidos.

Muitos destes legisladores ficaram na mesma sala durante várias horas, sendo que as autoridades não revelaram quem foi a pessoa diagnosticada com covid-19.

Os meios de comunicação acrescentam que houve alguma discussão porque vários congressistas não utilizaram máscara durante o período em que estiveram fechados naquela sala.

A invasão ao Capitólio dos Estados Unidos acabou por provocar a morte a cinco pessoas, um polícia e quatro manifestantes. Como consequência dos atos, muitas pessoas foram detidas, outras despedidas, e Donald Trump deve enfrentar um processo de destituição no Congresso, quando faltam menos de duas semanas para a tomada de posse de Joe Biden (20 de janeiro).

António Guimarães